COMUNICAÇÕESPAINEL PRINCIPAL

 

 

 

 

 

     

SEVEN OF NINE

USS VOYAGER

 

 

Seven of Nine foi uma das aquisições mais importantes a tripulação da USS Voyager NCC 74656 no quadrante Delta. Esta humana que foi assimilada em 2356 ainda quando criança, foi fundamental para o sucesso da viagem de volta da nave perdida no quadrante Delta. Este artigo especial do site da USS Venture apresentará as diversas fases desta tripulante a bordo da USS Voyager e todo o seu desenvolvimento.

 

Este artigo foi elaborado pelo Almirante MDaniel Landman e pelo nosso colaborador Guilherme Radin e busca resgatar a importância da ex-borg Seven of Nine para o retorno da USS Voyager ao quadrante alfa, como também sua contribuição ao Universo Star Trek. Uma observação: Em outras publicações a chamam de "Sete de Nove" uma tradução inapropriada para seu nome próprio, que era a sua designação Borg. Portanto neste artigo usaremos o nome correto da tripulante "Seven of Nine" que não deve ser traduzido.

 Almirante MDaniel Landman

 Data Estelar: 20100603 - USS Venture NCC 71854

 


INTRODUÇÃO E CRONOLOGIA

 

Seven of Nine (designação Borg completa: Seven of Nine, Adjunto Terciário da Unimatrix 01) uma fêmea humana, que foi transformada em um zangão Borg. Ela nasceu como Annika Hansen e foi assimilada pelos Borg em 2356, aos seis anos de idade, junto com seus pais. Entretanto foi libertada da Coletividade Borg pela tripulação da USS Voyager em 2374. Ela se juntou a tripulação e retornou ao Quadrante Alfa com a nave espacial em 2378.

 

Veja sua cronologia com os principais acontecimentos:

 

2350: Nasce de sua mãe Erin Hansen e pai Magnus Hansen. (VOY: "Dark Frontier")

2353: Embarca em uma viagem científica para estudar os Borg, juntamente com seus pais, a bordo da nave científica USS Raven. (VOY: "Dark Frontier")

2356: É assimilada pela Coletividade Borg, juntamente com seus pais.

2373: Serve como o zangão intermediário entre a coletividade Borg e a tripulação da USS Voyager. (VOY: "Scorpion, Part II")

2374: Foi separada da coletividade pela Capitã Kathryn Janeway, através da ajuda de Chakotay e começa nova vida a bordo da Voyager. (VOY: "The Gift")

2375: Retorna momentaneamente para a Coletividade Borg e dá de cara com a Rainha Borg e com seu pai assimilado. (VOY: "Dark Frontier")

2376: Torna-se a tutora de quatro ex-crianças Borg: Rebi, Azan, Mezoti e Icheb. (VOY: "Collective")

2377: Ajuda aos membros livres da área denominada Unimatrix Zero, acendendo assim um movimento de resistência interna Borg. (VOY: "Unimatrix Zero, Part II")

2378: Chega ao Quadrante Alfa com o retorno da USS Voyager. (VOY: "Endgame")

 

A seguir este artigo detalhará diversos aspecto da vida da Seven of Nine, seguindo a cronologia dos eventos.

 


DA INFÂNCIA ATÉ A ASSIMILAÇÃO

 

Annika nasceu na colônia da Federação Tendara e sua cor favorita era a vermelha. (VOY: "The Gift") ainda criança, Annika se hospedava com freqüência na casa de sua tia, Irene Hansen. Seu doce favorito era a torta de morango, uma vez sua tia Irene ofereceu uma torta para persuadir Annika a sair de um quarto, que ela tinha se trancado dentro. Ela era muito obstinada e não hesitou em dizer que os morangos utilizados no cozimento da torta não estavam perfeitamente maduros. (VOY: "Author, Author") Ela queria se tornar uma bailarina em sua infância.

 

Magnus e Erin Hansen, os pais de Annika, foram os exobiologistas responsáveis pelas primeiras investigações sobre a existência dos Borg. Depois de muita persuasão, a Federação concedeu aos Hansens o uso da nave USS Raven NAR-32450, uma pequena nave científica de longo alcance, para ajudá-los em sua investigação. Em 2353, eles partiram com sua filha Annika e passaram uma boa parte do tempo a bordo da USS Raven em busca de vestígios dos Borg. Annika comemorou o aniversário de três anos, a bordo da nave.

 

Eventualmente, o Hansens encontraram com um cubo Borg e o seguiram através de um conduíte transwarp até o Quadrante Delta, a região de origem dos Borg. Eles recolheram uma grande quantidade de dados científicos sobre a biologia dos zangões Borg e da natureza da Coletividade,  movendo-se sem serem detectados pelo espaço Borg devido a uma blindagem multi-adaptável, inventada por Magnus Hansen.

 

Eles ainda foram a bordo das naves Borg, utilizando bio-amortecedores para permanecerem sem serem detectados. No entanto, a pesquisa chegou a um fim abrupto em 2356, quando uma tempestade de íons atingiu a USS Raven. A nave sofreu danos consideráveis, incluindo, principalmente, danos à blindagem multi-adaptável, que saiu de linha por 13,2 segundos. Este fato os deixou expostos por um tempo suficiente para os Borg detectá-los e considerá-los como um alvo para a assimilação. Os Hansens tentaram fugir das mascarando os traços de dobra da nave, mas os Borg ainda conseguiram encontrá-los. Eles e sua filha foram prontamente capturados e assimilados. (VOY: "The Raven", "Dark Frontier").

 


COMO UM ZANGÃO BORG

 

Zangão Seven of Nine, adjunto terciário da Unimatrix 01. Esta foi a designação Borg de Annika nos próximos dezoito anos de sua vida como um zangão de Borg. Como um zangão, ajudou na assimilação dos milhões, de indivíduos de espécies inteiras. Assimilou pessoalmente muitos indivíduos de várias variedades de espécies, incluindo seres humanos, Klingons, Ferengis, Bajorianos, Bolianos, Krenim e Cardassianos. (VOY: "Infinit Regress")

 

Em 2368, Seven of Nine, junto com outros três zangões de sua unimatrix, fizeram um pouso forçado em um planeta no quadrante delta. Os outros zangões, que foram assimilados depois de adultos, começaram a recuperar suas identidades devido a separação da Coletividade  Borg, mas Seven of Nine ficou amedrontada por não saber nada de sua vida, a não ser como um zangão. Interligou forçosamente os outros zangões a uma Coletividade provisória a fim suprimir suas identidades anteriores, e todos foram recuperados logo em seguida. (VOY: "Survival Instinct") Seven of Nine permaneceu como um zangão de Borg até 2374, quando foi liberada.

 


DESCONECTADA DA COLETIVIDADE

 

Durante uma breve guerra, no final de 2373, entre os Borg e alienígenas de uma outra dimensão, designados pelos Borg com Espécie 8472, a USS Voyager se viu presa entre as duas forças beligerantes. Visando proteger sua tripulação, e de tomar conhecimento da ameaça extrema à galáxia que apresentam a espécie 8472, a Capitã Kathryn Janeway forjou uma aliança com os Borg, oferecendo-lhes a analises tácticas e tecnologia contra seu inimigo comum, em troca de passagem segura através do espaço Borg e não-assimilação.

 

Ao zangão Seven of Nine foi atribuída a tarefa de servir de interlocução entre os Borg e a tripulação da USS Voyager. Quando seu cubo se sacrificou para salvar a Voyager de um ataque de uma bio-nave da Espécie 8472, ela e um pequeno número de zangões se transferiram para a Voyager para continuar o trabalho. Depois de justos fazerem a Espécie 8472 recuar para a dimensão do espaço fluídico, o Coletivo Borg quebrou a aliança e Seven of Nine tentou tomar a USS Voyager para ser assimilada. Mas esta traição era esperada e um plano emergencial foi implementado com sucesso, que cortou permanentemente a ligação de Seven of Nine com a coletividade. A Capitã Janeway decidiu manter Seven of Nine a bordo da Voyager. (VOY: "Scorpion" e "Scorpion - Parte II")

 

Seven of Nine questionou a Capitã Janeway sobre sua separação da Coletividade e de sua transição de volta à humanidade. Num primeiro momento pareceu aceitar sua separação da Coletividade, mas tentou contatá-la na primeira oportunidade disponível. O doutor holográfico da Voyager conseguiu remover a maioria dos implantes Borg e restaurar a maioria de sua aparência humana, mas teve que deixar alguma tecnologia Borg que estava relacionada à várias funções vitais, e removê-las seria fatal. Também, era necessária manter a função de regeneração, como qualquer zangão Borg, usando uma alcova de Borg instalada a bordo. Foi fornecido um uniforme especial e comunicador,  tornando-a parte da tripulação. Entretanto, ela não quis começar a usar seu nome real, pois Seven of Nine era o nome que sempre conheceu, entretanto aceitou uma versão reduzida, "Seven" conforme sugestão da capitã Janeway. (VOY: "Day of Honor")

 

Como um ex-zangão Borg, Seven possuia características físicas superiores sobre a maioria dos humanos a bordo. Sua acuidade visual era muito superior, devido ao seu implante ocular, e tinha força física superior para uma mulher humana saudável da sua idade. Ela também era muito mais resistente a lesões e foi resistente a muitas formas de radiação, incluindo chroniton e subnucleonica, que podia rapidamente matar um ser humano comum. Além disso, ela se tornou uma lutadora de artes marciais extremamente competente, tornando-se uma mestre da arte marcial Norcadiana Tsunkatse. (VOY: "Tsunkatse").

 

Pouco tempo depois de ser libertada da coletividade, a USS Voyager se aproximou de uma lua no espaço B'omar, e localizou os destroços da nave USS Raven, que tinha sido parcialmente assimilada pelos Borg quando a pegaram. Um farol localizador Borg ainda estava ativo a bordo da antiga nave dos Hansens. Seven começou a ter visões de um corvo e flashbacks da época que ela foi assimilada. O farol reativou várias das nanosondas da Seven, forçando a procurar de forma irresistível a fonte do Farol. Ela escapou em uma nave auxiliar da USS Voyager e voou para a Lua, descobriu a nave avaliada e recuperou a memória de toda sua assimilação e parte de sua infância. (VOY: "Raven")

 

Para entender um pouco mais sobre os Borg, assistam o documentário a seguir, legendado em português:

 

 

 


REALIZAÇÕES CIENTÍFICAS

 

Durante seus primeiros meses na USS Voyager, Seven tentou ajudar a equipe de engenharia de modificar o motor de dobra para gerar um conduto transwarp para encurtar a longa viajem de volta ao quadrante Alfa. Os esforços fracassaram, e isso quase custou a Voyager seu núcleo de dobra no processo. (VOY: "Day of Honor")

 

Junto com o Alferes Harry Kim, Seven concebeu e construiu um Laboratório astro-métrico na nave, que utilizou tecnologia Borg para traçar rotas que encurtaram vários anos da viagem da Voyager. Este laboratório tornou-se um trunfo importante para Voyager e foi domínio da Seven pelo o resto da viagem. (VOY: "Revulsion", "Year of Hell") Utilizando o laboratório astro-métrico, Seven descobriu a rede de comunicações dos Hirogens, o que permitiu a USS Voyager receber temporariamente mensagens do Quadrante Alfa. (VOY: "Hunters") Quando fluxos de dados mensais, e posteriormente, as comunicações em tempo real tornaram-se possíveis, Seven ajudou a implementar melhorias no disco defletor da Voyager. (VOY: "Life Line", "Author, Author") 

 

Uma equipe liderada por Seven adaptou um projeto Borg para conter e destruir as moléculas Omega encontradas no Quadrante Delta em 2374. As moléculas se estabilizaram temporariamente, dentro de uma câmara de contenção. Seven foi a única a ver isso acontecer, como para um Borg a molécula Omega é considerada a "perfeição" em sua forma pura (mas nunca tinha sido capaz de estabilizá-la), a antiga zagão sentiu algo que poderia ser descrita como uma experiência religiosa, no momento que viu a molécula Omega se estabilizar. (VOY: "The Omega Directive")

 

Seven ajudou na implementação da Unidade de Deslizamento Quantum (quantum slipstream) instalada em 2375 a bordo da USS Voyager. Em uma linha do tempo alternativa, a utilização desta unidade destruiu a nave, matando ela e todos a bordo. No entanto, logo após a unidade ser ativado, um sinal de uma linha de tempo foi recebido por Seven através de seu implante cortical. Este sinal continha correções de fase que, quando utilizada, corrigia a defeito e eliminava a linha do tempo a tempo de salvar a nave e a tripulação. (VOY: "Timeless")

 

Um holograma de Reginald Barclay foi transmitido a USS Voyager no início de 2377. O holograma que supostamente trouxe informações para a USS Voyager sobre uma dobra espacial geodésica para ajudar no retorno da nave ao Quadrante Alfa. Na realidade, o holograma tinha sido interceptado e reprogramado pelos Ferengis, que queriam retirar as nanosondas de Seven of Nine e vendê-las com o lucro. Embora o holo-Barclay tenha indicado diversas modificações no escudo para proteger a Voyager durante a dobra espacial, Seven acabou descobrindo que o holograma estava enganando. (VOY: "Inside Man")

 


CONFLITOS DIVERSOS

 

Diversos conflitos morais e éticos cercaram a trajetória de Seven a bordo da USS Voyager, muitos devidos a sua criança com os Borg e sua transição para a humanidade. A seguir temos alguns deles considerados mais emblemáticos.

 

A USS Voyager resgatou um membro da espécie 8472 fugindo de um grupo de caça Hirogen em meados de 2375. A Capitã Janeway queria devolver a criatura ao seu espaço natural fluídico, porque este ser havia informado telepaticamente a Tuvok da sua situação e que só queria ir para casa. Os Hirogens, no entanto, queriam caçar e matar. Eles ameaçaram destruir a Voyager se sua caça não foi devolvida a eles. Seven sentiu que a presa deveria ser entregue, a fim de proteger a Voyager. Entretanto a capitã Janeway discordou veementemente, dizendo que era errado sacrificar uma outra forma de vida para se salvar. Seven se recusou a ajudar a abrir uma singularidade quântica no espaço fluídica para permitir que o membro da espécie 8472 volta-se ao seu reino, e Janeway foi confinada no seu compartimento de carga.

 

O Doutor precisava das nanosondas de Seven para ajudar a tratar o alienígena ferido, e Seven foi ordenada a trazê-las ao médico para que ele pudesse tratar a presa. Ao mesmo tempo, um caçador Hirogen que tinha sido ferido em sua caçada inicial, e que o médico também estava tratando, atacou o membro da Espécie 8472. Sete transportou tanto o Hirogen quanto o membro da Espécie 8472 para uma nave Hirogen, que depois recuou e foi embora. Janeway não ficou feliz com o comportamento de Seven, e revogou a maioria de seus privilégios até que ela demonstrasse confiança de novo. Seven acreditava que ela estava sendo punida por afirmar a sua individualidade e suas crenças pessoais, o que a tripulação de Voyager tinha incentivado desde que ela foi retirada da coletividade. (VOY: "Prey")

 

Uma raça de caçadores de recompensas conhecido como os Hazaris começou a atacar Voyager em 2375. Um grupo de alienígenas chamado "Think Tank" ofereceu ajuda para derrotar os Hazari, mas queria Seven of Nine como pagamento. Kurros, um membro do Think Tank, tentou apelar à busca de Seven pela perfeição, para que ela se junte sua causa de livre vontade, mas ela recusou a oferta. Investigações posteriores revelaram que Kurros havia contratado os Hazaris para atacar a Voyager com o objetivo expresso de tomar Seven of Nine. A tripulação desenvolveu um plano com os Hazaris que envolveu Seven aderir voluntariamente ao Think Tank. Uma vez com eles, ela seria desativar sistemas a bordo de sua nave. Seven sobrecarga a rede telepática Think Tank,  perturbando todas as funções da nave. Seven foi devolvida a USS Voyager e o Think Tank foi invadido por um esquadrão de ataque Hazari. (VOY: "Think Tank")

 

Em 2376, a Voyager atracou em uma Estação Markoniana. Enquanto estava lá, Seven of Nine encontrou o grupo de zangões que tinha ligados oito anos antes. Eles já tinham sido liberados da coletividade, mas estavam permanentemente ligados devido a modificações realizadas por Seven anos antes. Eles atacaram Seven, com o objetivo de descobrir como desativar estas modificações, mas foram impedidos pela segurança da USS Voyager. Seven, voluntariamente, tentou ajudar os antigos zangões a recuperar suas individualidades, porém eles necessitariam que seus implantes neurais fossem removidos, fato que lhes daria apenas um mês vida. Seven decidiu que uma vida breve como um indivíduo era muito mais valiosa do que uma vida eterna como um zangão Borg, e ordenou o doutor que removesses os implantes. Os antigos zangões permaneceram magoados com Seven pelo que ela fez no passado, mas entenderam suas razões e estavam gratos pela sua liberdade recém-descoberta, porém de curta duração. (VOY: "Survival Instinct")

 

Durante este mesmo ano, Seven e Tuvok foram feridos e capturados por Penk, um Norcadiano que organizava uma competição de lutas para espectadores chamada Tsunkatse, e Seven foi obrigada a lutar no ringue. Após o resgate, Tuvok agradeceu a Seven por ter tomar o seu lugar em um jogo e perguntou se ela havia se recuperado. Seven disse que sua vitória no combate veio de sua perda de controle, e que temia que os três anos ela passou na Voyager tentando recuperar sua humanidade, tivessem sido perdidos no ringue. No entanto, Tuvok salientou que os seus sentimentos de culpa, vergonha e remorso, reafirmaram sua humanidade, mostrando que nada foi perdido. (VOY: "Tsunkatse")

 


AS RELAÇÕES COM OS BORGS

 

Durante um tele-transporte de volta a Voyager em 2375, um mal funcionamento causado pelas nanosondas do sangue Seven, que se fundiram ao emissor holográfico móvel do doutor. As nanosondas rapidamente assimilaram a tecnologia avançada do século 29, e usando material genético do oficial Mulcahey, conseguiram criar um zangão Borg avançado, com o emissor em seu núcleo. Ao novo zangão Borg faltava uma programação, que pudesse permitir que Seven se comunicar com ele. Ela tentou ensiná-lo a ser um indivíduo, e foi dado o nome One pela própria Seven, mas ele queria saber mais sobre os Borgs. As tentativas para evitar a detecção de seus sinais pelos Borgs falharam e também a tentativa de modificar as armas da Voyager. One se transportou a bordo da nave Borg, e a destruindo por dentro. Sua blindagem interna melhorada o permitiu sobreviver à explosão, porém gravemente ferido. De volta a Voyager, ele recusou o tratamento e morreu na enfermaria para manter a tripulação a salvo de ameaças assimilação. Seven lamentou profundamente como se tivesse perdido um filho. (VOY: "Drone")

 

Mais tarde, em 2375, a tripulação da Voyager estava em uma incursão ousada dentro de uma esfera Borg danificada, a fim de roubar uma bobina transwarp e reduzir substancialmente o tempo de sua viagem de volta. Seven foi contactada pela Rainha Borg, que revelou que ela tinha uma armadilha para Voyager e todos da sua tripulação seriam assimilados se ela não voltar para a coletividade. Seven relutantemente concordou, sabendo que ela estava deliberadamente abrindo mão de sua liberdade em favor da Voyager, mas estaria fazendo parte de um plano maior para assimilar toda a Humanidade. Seven resistiu às tentativas da rainha para convencê-la a desenvolver um vírus de nanosondas e acabou por ser resgatada pela tripulação da USS Voyager. (VOY: "Dark Frontier")

 

Em 2377 ela descobriu que ela era uma dos poucos Borgs com uma certa mutação na assimilação que lhes permitia manter sua individualidade, enquanto estava em seu processo de regeneração, no interior de uma construção artificial Borg conhecida como Unimatrix Zero. Agora livre da coletividade, ela foi novamente contactada pelos outros Borgs dentro deste complexo. Eles estavam prestes a serem descobertos pela Rainha Borg e precisavam da ajuda de Seven. Com a participação da tripulação da USS Voyager, conseguiram prover aos zangões a capacidade de manter suas individualidades fora da construção. Com isso foi possível iniciar uma rebelião aberta contra a coletividade Borg, mergulhando a Coletividade em uma guerra civil. (VOY: "Unimatrix Zero", Partes I e II)

 


 

DESENVOLVIMENTO PESSOAL

 

Embora durante a viagem ela tenha começado a desenvolver sua sua humanidade, Seven não estava ansiosa, como os demais, para retornar ao Quadrante Alfa, e tornava-se apreensiva e incrédula quando as oportunidades se apresentavam. (VOY: "Hope and Fear") Sua relutância realmente ajudou a tripulação da Voyager em 2375, quando a nave estava quase sendo ingerida por um organismo bioplasmático conhecida como "Planta de Jarro Telepática". Seven e Naomi Wildman eram os dois únicos membros da tripulação que não tinham vínculos afetivos com a Terra e Quadrante Alfa, não afetado por sua ilusão de uma Fenda Espacial de volta ao Quadrante Alfa. Apesar das tentativas da tripulação para colocá-la em êxtase, Seven foi capaz de unir forças ao médico e um alienígena chamado Qatai a libertar a Voyager. (VOY: "Bliss")

 

Em 2376, Seven teve que se tornar uma figura materna temporária para um grupo de crianças que a Voyager descobriu a bordo de uma nave Borg abandonada. Ela cuidava dos seus "filhos" chamados: Icheb, Mezoti, Rebi e Azan, até os três últimos foram devolvidos ao seu próprio povo em 2377. Seven estava frustrada com suas tentativas iniciais de ser a tutora destas crianças, pois planejou horários rígidos para as suas atividades, com punições quando não conseguiu cumprir o cronograma. Com o tempo as crianças se rebelaram contra as restrições impostas e o Com. Chakotay teve que interceder com a Seven para ela perceber que, as regras eram importantes, mas as crianças também precisam de espontaneidade. (VOY: "Ashes to Ashes")

 

Primeiramente, Seven considerava um esforço inútil o uso dos holodecks da nave, para exteriorizar o desejo humano de fantasiar e viver aventuras. Com o tempo a bordo, ela visitou muitos dos programas de Tom Paris, incluindo a novela "The Adventures of Captain Proton". Seven  e o doutor assistiram a uma exibição de "Attack of the Lobster People"  em uma recriação do Teatro Palace em 2377. (VOY: "Repression") Também 2377, Seven criou uma simulação holográfica da USS Voyager, a fim de melhorar suas habilidades sociais. No programa, seus implantes Borg tinham sidos totalmente removidos permanentemente, e ela recebeu um uniforme da Frota Estelar da área de ciências e um quarto. Ela também explorou um relacionamento romântico com Chakotay durante a execução do programa, um prelúdio do que veria a acontecer. Ela começou a usar este programa excessivamente, interferindo com suas funções. (VOY: "Human Error")

 


 

RELACIONAMENTOS

 

Após a sua libertação da coletividade Borg, Seven manteve muito de sua personalidade anterior como um Zangão. Seven foi muito dura com os membros da tripulação e muitas vezes desobedeceu as ordens da capitã Janeway, quando ela achava que estavam incorretas. No entanto, como o passar do tempo, Seven foi gradualmente formando uma estreita ligação com os demais membros, especialmente com o Doutor, Tuvok, Naomi, Chakotay e a própria Janeway.

 

JANEWAY

A Capitã Janeway tomou a decisão de desconectar Seven of Nine da Coletividade Borg. Ela sempre ajudou Seven através da difícil transição para a Humanidade. Em 2374, forçou uma tentativa de recuperar as memórias de sua vida como Annika Hansen. Janeway também encorajou Seven a desenvolver trabalhos artísticos para cultivar sua humanidade. Seven não hesitou em questionar as decisões da capitã Janeway, às vezes publicamente, inclusive não executando ordens diretas. Seven considerava que Janeway colocava a tripulação em perigo desnecessário, explorando o Quadrante Delta e entrando em contato com as demais civilizações em vez de definir uma rota direta para casa. (VOY: "Random Thoughts")

 

Entretanto de uma forma própria Seven ouvia os conselhos da capitã, a procurando quando precisava orientação moral para uma situação, ou queria expressar algo que ela havia aprendido sobre a humanidade.

 

Naomi Wildman

Naomi Wildman, a primeira criança nascida a bordo da USS Voyager, ficou fascinada com Seveb, e começou a segui-la em 2375. inicialmente, Seven ficou irritada com ela, e reprovava os estudos de Naomi sobre as denominações de espécies Borg. Aos poucos, Seven decidiu instruir Naomi em astrometria, dando-lhe cartas estelares e informações para estudo. Seven também costumava jogar o jogo "kadis kot" com Naomi. Elas tinham em comum o fato de muitas vezes não conseguir entender a determinação da tripulação para retornar à Terra. Seven uma vez afirmou que pensou em Naomi como sua família a bordo da Voyager.

 

DOUTOR

O Doutor da Voayger foi responsável pela remoção dos implantes de Seven of Nine, e também realizada suas sessões de manutenção semanal. Ele também se encarregou de ensinar Seven do comportamento social, utilizando os mesmos exercícios relacionamento interpessoal recomendados pela Kes para ele. (VOY: "Prey") Mais tarde, ele criou uma simulação no holodeck da Voyager para ela ficar mais confortável com os grandes encontros sociais. 

 

O Doutor foi o primeiro a incentivar Seven a explorar os relacionamentos românticos em 2375, treinando-a para um possível namoro e noções básicas de higiene. Ele também descobriu sua voz cantando, e os dois cantaram um dueto a música "You Are My Sunshine". O Doutor nutriu por algum tempo um amor não correspondido por Seven.

 

CHAKOTAY

Como muitos da tripulação, Chakotay desconfiava de Sete durante seu primeiro ano a bordo. Ele ajudou na desconexão de Seven of Nine da Coletividade Borg. Durante os anos que se seguiram, sempre teve um postura profissional perante a Ex-Borg.

 

Seven considerou um relacionamento romântico com Chakotay primeiramente em uma simulação no holodeck de Voyager, e a partir dai, Chakotay tornou-se seu interesse amoroso. Um dos implantes Borgs de Seven impedia que ela sentisse paixão por alguém a nível mais profundo, então o Doutor se esforçou para desenvolver um método seguro para remover esse obstáculo ao seu desenvolvimento, e vários meses depois, ele foi capaz de remover os implantes com um único procedimento cirúrgico. Após a retirada dos implantes afetados, Seven estava livre para se envolver na vida real com Chakotay, e os dois começaram a namorar em 2378. (VOY: "Endgame")

 


 

 

Artigo Por:
Almirante MDaniel Landman e Guilherme da Costa Radin

 

Revisão, Montagem e Arte Final:
Alm. MDaniel Landman - USS Venture NCC 71854

ussventure@uol.com.br

 

Fontes:

Memory Alpha

http://memory-alpha.org/pt/wiki/

 

USS VENTURE

BORGS - DESVENDANDO A COLETIVIDADE

 

A RAÇA BORG

 

 

 

VOLTAR

 

HOMEPAGE CRIADA E MANTIDA PELO WEBDESIGN:  MDANIEL LANDMAN  grupoussventure@gmail.com

Star Trek®  e todas as séries derivadas, assim como os personagens, são marcas registradas da Paramount Pictures,

 uma divisão da Viacom, com todos os direitos reservados.
Esta Homepage, bem como todo a material e publicação aqui apresentados estão livremente disponíveis ao público, e tem por finalidade apenas divulgar a série e compartilhar todo o conhecimento com as gerações futuras, sem fins lucrativos.